Home » » Selfies Estimulam Plásticas Faciais

Selfies Estimulam Plásticas Faciais

Written By Deise Sabbag on quarta-feira, 21 de março de 2018 | março 21, 2018



A Academia Americana de Plástica Facial e Cirurgia Reconstrutiva (AAFPRS)  acaba de revelar  que houve um aumento de 55%, em 2017, nas plásticas faciais com o objetivo de sair bem nas selfies. O procedimento mais procurado é a toxina botulínica e, em seguida, a rinoplastia.

Segundo a pesquisa,  33% dos pacientes  buscam retoques discretos. Além disso, 57% dos pacientes das clínicas de plástica nos EUA desejam mudanças no rosto para ganharem promoções ou se sentirem mais competitivas no mundo do trabalho.

Por outro lado, o cirurgião plástico carioca Victor Lima alerta para a motivação da cirurgia plástica. "O objetivo maior da cirurgia plástica é permitir  não apenas um embelezamento, mas melhorar a auto-estima, promovendo  melhor qualidade de vida."

O médico  enfatiza a importância de procurar um médico competente. "O cirurgião deve ser membro especialista da SBCP, e zelar em primeiro lugar pela segurança e bem-estar do paciente. Encontrar um bom profissional e seguir suas recomendações é fundamental para o sucesso da cirurgia", completa dr. Lima.

Toxina botulínica (botox)
O botox age paralisando parcialmente os músculos responsáveis pelas rugas faciais, melhorando de forma transitória as rugas de expressão no rosto. A duração do tratamento costuma ser de 6 a 8 meses.  faixa de preço varia de região para região.

Rinoplastia

A rinoplastia tem um tempo cirúrgico bastante variável,  podendo durar de uma a três horas, dependendo da complexidade do caso. A anestesia costuma ser geral e o tempo de internação é de 24 horas. www.victorlima.com

 


SHARE

Sobre Deise Sabbag

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero. Responsável por matérias especiais para o caderno B e titular de uma coluna no Diário Popular. Redatora especial e redatora de moda do City News, do grupo DCI, que posteriormente adquiriu o Shopping News e o Jornal da Semana. Idealizou e editou o Todamoda, que foi o primeiro caderno totalmente dedicado à moda no Brasil. Responsável pela execução de edições diárias em feiras nacionais de moda, como Fenit, Feninver, Feira de Moda de Fortaleza. Cobertura Internacional e pesquisas de tendências dos desfiles de alta-costura e prêt-à-porter em Paris, Roma, Milão e Londres. Docente do primeiro curso para formação de produtores de moda, ministrado pelo Senac. Foi membro do Conselho de Moda da Faap. Autora de três livros: “A Moda dos Anos 80”, “Na Moda de Corpo e Alma” e “Beleza e Qualidade de Vida de A a Z”.

0 comentários :

Postar um comentário