O Blog de Todos os Modos das Modas

Modos e Modas é o blog da Jornalista Deise Sabbag. Inspirado nas tendências com possibilidade de alcançar as ruas e focado nas tendências adequadas ao biotipo brasileiro. Deise é autora de três livros: “A Moda dos Anos 80”, “Na Moda de Corpo e Alma”, e “Beleza e Qualidade de Vida de A a Z”, glossário reunindo os principais verbetes do setor.
Home » » O mistério das camisetas furadas na barriga

O mistério das camisetas furadas na barriga

Written By Luciana Sabbag on quinta-feira, 8 de março de 2018 | março 08, 2018


O tema deixou de ser comum nas rodinhas de amigas para ter lugar no Yahoo respostas. Afinal, por que cargas d´água as mulheres reclamam de camisetas que, do nada, aparecem com furinhos na barriga?

Desenredei o assunto com a minha irmã do meio. Ela se indigna até hoje, apesar do cuidado redobrado, de perder peças recém-compradas por conta do buraquinho que inexplicavelmente insiste em se fazer notar. No umbigo, sempre lá.

A internet tem sido consultada para dar um fim ao mistério. Entre os palpites, a morada de um alien nas vísceras, buscando um arzinho aqui fora, é menos insossa do que a ação de traças, baratas, formigas, ratos..

.Ora, ora, vamos combinar que essas moçoilas não moram na zona rural e, ainda que morassem, todos os insetos não iam  escolher o meio da camiseta, onde fica o umbigo, para roer.

 Outra resposta do Yahoo: resíduos de cremes ou óleos na região. Quer dizer que as mulheres queixosas não lavam direito o umbigo e a substância corrói a malha? Ou não lavam direito a camiseta e ela cria fungos?



OUTRAS POSSIBILIDADES

Mais tentativas. A pressão feita pelos prendedores de varal, a marca da peça sobre a corda, o jeito de dobrar e guardar na gaveta, o hábito de puxar para baixo a camiseta.

 Tem algumas respostas que atribuem aos piercings os furinhos - na t-shirt, não no umbigo- pelo atrito.  Mas minha irmã, amigas e compartilhadas na questão não apresentam exatamente um abdome apropriado para aneizinhos de metal epedrinhas. E isso está out até para funqueiras, né?

Deixa eu ver....zíper de calça pegando na malha, botão de pressão dos jeans...encostar no tanque? Na pia? Ontem iniciei uma pesquisa pelo Facebook para dar uma tabulada na dúvida que tanto atormenta as consumidoras de camisetas.

As chiques, em especial. Como tenho mais de mil amigos, amigas e conhecidos, vamos ver o que acontece, já que a amostragem é significativa pelo número e,  eu acho, pela qualidade.

Já vi que as esotéricas respondem rápido. Chegaram soluções como energia concentrada no corpo que tem o umbigo como escape. Aí esquenta e se rompem as fibras da camiseta.

Uma conhecida escreveu que suor acumulado, ácido, também faz o estrago. O post mais engraçado é o de minha irmã mais nova. E  teimosa. “Água mole em coisa dura tanto bate até que fura”. Ha-ha-ha-ha.


Meg Guida
meg.guida@portavoz.com.br

SHARE

Sobre Luciana Sabbag

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero. Responsável por matérias especiais para o caderno B e titular de uma coluna no Diário Popular. Redatora especial e redatora de moda do City News, do grupo DCI, que posteriormente adquiriu o Shopping News e o Jornal da Semana. Idealizou e editou o Todamoda, que foi o primeiro caderno totalmente dedicado à moda no Brasil. Responsável pela execução de edições diárias em feiras nacionais de moda, como Fenit, Feninver, Feira de Moda de Fortaleza. Cobertura Internacional e pesquisas de tendências dos desfiles de alta-costura e prêt-à-porter em Paris, Roma, Milão e Londres. Docente do primeiro curso para formação de produtores de moda, ministrado pelo Senac. Foi membro do Conselho de Moda da Faap. Autora de três livros: “A Moda dos Anos 80”, “Na Moda de Corpo e Alma” e “Beleza e Qualidade de Vida de A a Z”.

0 comentários :

Postar um comentário