Home » » Dúvida Cruel: Pode ou Não Casar de Óculos?

Dúvida Cruel: Pode ou Não Casar de Óculos?

Written By Deise Sabbag on quinta-feira, 17 de maio de 2018 | maio 17, 2018





Para muitos, os óculos não fazem só parte da rotina, mas também da personalidade.  Viram trade mark da pessoa. Então, fica a pergunta: por que noivos e noivas, que habitualmente  usam óculos de grau, têm vergonha de assumir sua miopia no grande dia?

No Brasil,  grande parte da população usa óculos, porém muitos têm receio de que, com esse acessório, não saiam bem nas fotos do casamento, e  por diversos motivos. O principal deles, porém,  é o reflexo que as lentes podem provocar nas imagens. 


“Entretanto, este problema pode ser  facilmente solucionado com a utilização das lentes antirreflexo. Além de dar uma aparência mais elegante e clean, a imagem  fica mais nítida e as fotografias despojadas”, orienta Gabi Pompílio, Gerente de Marketing da eÓtica.


Segundo ela, uma boa  dica é adquirir uma armação exclusiva para o dia do casamento, e que se harmonize com a personalidade do (a) noivo (a). Neste caso, é importante entender que os olhos refletem o emocional do rosto e se destacam, por isso os óculos devem ser usados com cautela e de forma que o acessório provoque o efeito   mais  natural possível.

Embora a maioria das noivas optem pelas lentes de contato, por uma questão de harmonia (mas que podem incomodar e deixar os olhos vermelhos e  lacrimejantes), vale  lembrar que os óculos ajudam até no sentido estético. A maquiagem deve ser feita para valorizar a pele, que será ainda mais realçada pelo uso dos óculos.

SHARE

Sobre Deise Sabbag

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero. Responsável por matérias especiais para o caderno B e titular de uma coluna no Diário Popular. Redatora especial e redatora de moda do City News, do grupo DCI, que posteriormente adquiriu o Shopping News e o Jornal da Semana. Idealizou e editou o Todamoda, que foi o primeiro caderno totalmente dedicado à moda no Brasil. Responsável pela execução de edições diárias em feiras nacionais de moda, como Fenit, Feninver, Feira de Moda de Fortaleza. Cobertura Internacional e pesquisas de tendências dos desfiles de alta-costura e prêt-à-porter em Paris, Roma, Milão e Londres. Docente do primeiro curso para formação de produtores de moda, ministrado pelo Senac. Foi membro do Conselho de Moda da Faap. Autora de três livros: “A Moda dos Anos 80”, “Na Moda de Corpo e Alma” e “Beleza e Qualidade de Vida de A a Z”.

0 comentários :

Postar um comentário